Carregando...

Projeto piloto de criação de camarão pode ser desenvolvido no lago de Babaçulândia


O secretário de Agricultura, Pecuária e Aquicultura do Tocantins (Seagro), Jaime Café, visitou o presidente da Associação dos Produtores de Camarão do Ceará (APCC), Luiz Paulo Sampaio, na sede da associação em Natal (CE), para conhecer o desenvolvimento de projeto específico da aquicultura, a carcinicultura, e possíveis parcerias para implantação de projeto piloto do estado.
 
A carcinicultura é um ramo específico da aquicultura voltado para a criação de camarão em cativeiro, tanto na forma de cultivo marinho ou de água doce. É uma atividade em expansão no Brasil, sendo uma das formas de negócio mais lucrativas que existem, uma vez que o consumo do camarão cresce cada dia mais.
 
No encontro, na última sexta-feira (7), Jaime Café apresentou as potencialidades da aquicultura tocantinense, as políticas de incentivos fiscais, além de debater sobre as ações necessárias para criar um ambiente de negócios estimulador para a implantação da carcinicultura no Estado. “Temos no município de Babaçulândia uma área propícia, com água salobra, para a implantação de projeto piloto. Temos a oportunidade de incentivar o consumo e contribuir com a geração de emprego e renda”, disse ele acrescentando que em breve representantes da APCC estarão visitando o Tocantins.
 
Em seguida, acompanhado pelos percussores na implantação do projeto, os professores do Instituto Federal do Ceará (IFCE) Sérgio Almeida e Itálo Rocha, o secretário conheceu in loco a criação de camarões nas fazendas Primus Carcinicultura e Aquinova, localizadas no município de Morada Nova (CE), associados à APCC.
 
Primeiro no ranking
 
O Ceará é o primeiro no ranking de volume e valor das exportações de camarão por Estado, segundo dados da Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC). Somente de janeiro a julho de 2021, foram produzidas 4.732 toneladas, com renda de US$ 42,46 milhões e crescimento de 61% desse valor em relação ao mesmo período de 2020.
 
Atualmente, o Ceará conta com 53 municípios divididos em cinco macrorregiões com produção de camarão em água doce e salgada contando com aproximadamente 1.300 produtores ligados à Associação dos Produtores de Camarão do Ceará (APCC). O potencial de mercado e qualidade dos cultivos possibilitam a vasta comercialização do produto no mercado local, demais Estados do Brasil e exterior.
Por  Seagro/Tocantins
Foto: Divulgação